O que é Misofonia?

Misofonia ou 4S ou?

24 DE MAIO DE 2019

Doença, enfermidade, transtorno, síndrome, distúrbio, desordem, condição ou “um mal” ?

Ao procurar entender o que é Misofonia, encontramos várias definições que a caracterizam de maneiras diferentes. Vejamos algumas definições que encontramos na Internet:

A Misofonia, nome popular da Síndrome de Sensibilidade Seletiva do Som (SSSS ou 4S), é um distúrbio que causa intolerância a pequenos barulhos. Para pessoas que sofrem dessa intolerância quase patológica, sons normais do dia-a-dia como buzinas, barulhos de carros, músicas, pessoas conversando ou mastigando acabam causando irritabilidade, raiva e pânico.

Wikpedia

A misofonia (miso=aversão, ódio) + (fonia=som), Síndrome de Sensibilidade Seletiva a Sons, Síndrome dos 4Ss ou simplesmente SSSS é uma reação forte a determinados sons específicos e insuportáveis, comparável ao que as pessoas sentem ante à microfonia. A pessoa se sente muita irritada ou com pânico de ouvir barulhos como o pingar de uma torneira, cliques constantes de uma caneta ou o som repetitivo de alguém balançando as pernas, por exemplo.

ABC Médico

Miso (aversão,ódio) e fonia ( som), o que significa dizer que é uma reação forte a determinados sons, o qual não deve ser confundido com hiperacusia em que sons que são percebidos de modo anormal ou sons que causam dor física. Hiperacusia e misofonia são enfermidades relacionadas à redução de tolerância de som

hear-it

A misofonia , traduzida como “ódio do som”, é uma condição crônica que causa reações emocionais intensas a sons específicos.

Centro de Informação de Doenças Genéticas e Raras (USA)

A definição científica mais atual (2019)

Todas as definições anteriores são distintas com relação a uma causa identificável, agora apresentamos a definição de um estudo que se tornou um marco divisor nas pesquisas sobre Misofonia:

A misofonia é uma síndrome neuro-comportamental caracterizada pela maior excitação emocional do sistema nervoso autônomo e reatividade emocional negativa (por exemplo, irritação, raiva, ansiedade) em resposta a uma diminuição da tolerância para sons específicos.

Estudo de diversos pesquisadores publicado no artigo Investigando a Misofonia: Uma Revisão da Literatura Empírica, Implicações Clínicas e uma Agenda de Pesquisa

A definição como Síndrome é adotada, mas há uma ressalva:

Embora as características de Síndrome tenham começado a ser caracterizadas empiricamente, a misofonia não foi formalmente reconhecida como um tipo específico de distúrbio neurológico, audiológico ou psiquiátrico. A responsividade excessiva aos estímulos auditivos é uma característica observada em uma ampla gama de distúrbios neurológicos, auditivos, médicos e psiquiátricos, como zumbido, hiperacusia, enxaqueca, transtorno do espectro do autismo. transtorno de estresse pós-traumático, transtorno de personalidade limítrofe, transtorno bipolar e esquizofrenia. A natureza precisa da relação entre a misofonia e esses distúrbios é desconhecida. 

O diagnóstico?

  • Há uma enorme dificuldade para diagnosticar a Misofonia. Ainda não há exames clínicos específicos e a Misofonia não está incluída nos dois sistemas oficiais de diagnósticos como o DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) e o CID 10 (Classificação Internacional de Doenças).
  • Assim, muitos profissionais de saúde desconhecem   a Misofonia ou conhecem muito pouco sobre o assunto. Nos Grupos de Redes Sociais são constantes os depoimentos de Misofônicos sobre as tentativas de procurar ajuda profissional (Otorrinolaringologistas, Fonoaudiólogos, Neurologistas e Psiquiatras) onde estes profissionais tentam tratar a Misofonia em função dos sintomas compatíveis com outros problemas. Poucos profissionais conhecem a Misofonia.

A recomendação no artigo “Investigando a Misofonia…” é que a abordagem seja multidisciplinar, ou seja verificar os aspectos audiológicos, neurológicos e psiquiátricos (e outras correlações) presentes em cada indivíduo que relate os sintomas de Misofonia e que estes profissionais compartilhem o mesmo prontuário de atendimento.

A abordagem multidisciplinar permite que aspectos diversos sejam tratados por profissionais específicos. Por exemplo, o sofrimento psíquico presente na intolerância ou na aversão aos sons específicos, os chamados gatilhos, e o isolamento social a que o Misofônico se submete, devem ser tratados por psicoterapia adequada enquanto os possíveis problemas neurológicos e audiológicos devem ser tratados por outras especialidades.

No Brasil essa estrutura não é facilmente encontrada fora de clínicas multiespecializadas ou em hospitais. Uma estratégia para quando se busca atendimento fora destes locais, é o profissional de uma especialidade encaminhar o tratamento, por escrito ou por laudo, para profissionais de outras especialidades com informações sobre a conduta adotada e informar seu contato para compartilhamento de informações mais detalhadas.

A AVBM – Associação Virtual Brasileira de Misofonia tem a missão de compartilhar e divulgar o que se conhece sobre Misofonia e participa de campanhas de Divulgação e Projetos voluntários para que mais e mais profissionais de saúde conheçam e possam atualizar seus conhecimentos para que mais e mais pessoas que sofrem de Misofonia possam ser atendidas.